Molas extra-leves (roxas) resolvem paradigmas técnicos em projeto de ferramentais

A opção que faltava nos projetos

Frequentemente os projetistas de ferramentais se deparam com situações onde necessitam de um curso maior que os disponíveis nas molas da série ISO 10243, as famosas molas verdes, azuis, vermelhas e amarelas mas, precisando permanecer dentro da deflexão máxima recomendada e sem comprometer a durabilidade das molas nos ferramentais. Da mesma forma, em muitas situações também são necessárias molas com carga menor que as molas com carga leve (verdes).

Para resolver essas situações, muito comum em moldes, estampos e dispositivos, a Mollificio Bordignon (Itália) desenvolveu a Série 1L de molas extra-leves, distribuída no Brasil pela Casafer de Joinville, que mantém estoque para pronto atendimento de todas as medidas disponíveis no catálogo.

Padrão de medidas conhecido pelos projetistas

A Série 1L de molas extra-leves, caracterizadas pela sua cor roxa, possuem exatamente as mesmas dimensões das molas da norma ISO 10243, facilitando assim a sua aplicação pelos projetistas, já estão acostumados com esses parâmetros, porém ampliando as possibilidades de cursos em projetos que necessitem de carga mais leve ou maior curso.

Características técnicas

Com uma deflexão máxima de 50% do comprimento livre, as molas roxas, superam a possibilidade de curso das molas verdes cuja deflexão máxima é de 40%, das azuis 37,5%, das vermelhas 30% e das amarelas 25%. Da mesma forma, também amplia a capacidade de deflexão dentro dos limites recomendados para máxima vida útil das molas, quando elas atingem vida útil de milhões de ciclos: as molas roxas podem ter uma deflexão máxima de 35% de comprimento livre, enquanto as verdes 30%, as azuis 25%, as vermelhas 20% e as amarelas 17%.

Recomendação de Aplicação

Uma boa indicação para a utilização de molas roxas em moldes, são situações em que o curso das molas verdes não são suficientes e ao mesmo tempo a carga de molas espirais não atendem essa necessidade. Já em estampos, as molas roxas podem ser aplicadas para obtenção de uma vida útil muito maior, apenas aumentando-se a pré-carga.

Uma prática muito comum, é projetar ferramentais considerando a deflexão até o sólido das molas. Este parâmetro não deve ser utilizado pelos projetistas pois reduz drasticamente a vida útil das molas e ainda pode provocar acidentes. Sendo assim, os catálogos da Bordignon não apresentam esta informação, identificando apenas os parâmetros que devem ser considerados, como o curso máximo recomendado a ser utilizado para obter a maior vida útil possível e o curso máximo recomendado.

Consulte o suporte técnico da Casafer para mais informações: [email protected] ou (47) 3027-1019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dúvidas?
Suporte ao cliente
Precisa de ajuda? Selecione um contato
Fernanda Heidemann
Suporte ao cliente
Online
Jefferson Kaiser
Suporte ao Cliente
Online
Bruno Aguiar
Suporte ao Cliente
Online
Jackeline Cordeiro
Suporte ao Cliente
Online
Henrique Wagner
Suporte ao Cliente
Online

Menu Principal